MINISTRO DA EDUCAÇÃO VEM AO RS PELAS ESCOLAS CÍVICO-MILITARES

Presidente da República Jair Bolsonaro e Min. da Educação, Milton Ribeiro. 

No próximo dia 12 de maio, o ministro da Educação, Milton Ribeiro, vem ao Rio Grande do Sul participar de ato que ratificará o nome de 54 escolas do Estado que vão se tornar cívico-militares. A informação foi confirmada pelo deputado estadual Tenente Coronel Zucco (PSL). Zucco fez ontem um roteiro pela região, tendo sido recebido na sede do Grupo Sinos por Carlos Eduardo Gusmão, membro do Conselho de Administração. Em Novo Hamburgo, a Estadual Osvaldo Aranha será incluída no programa das cívico-militares. A instituição, inclusive, já recebeu ofício confirmando.

O deputado Zucco se diz feliz com mais este passo dado. “Sou autor do projeto de criação das escolas cívico-militares e tenho trabalhado para o sucesso deste novo modelo de instituição”, disse, no Grupo Sinos. “A pandemia atrasou a implantação, mas estamos esperançosos com o que vem por aí”, acrescentou.

Pandemia

Deputado Zucco visitou Grupo Sinos. Foto: João Ávila

Durante sua passagem por Novo Hamburgo, o parlamentar também falou da pandemia e os danos causados não só à saúde das pessoas, mas também à economia.

“Se demorou muito para enxergar o quanto as medidas adotadas foram danosas para outros segmentos, como o econômico”, disse. “Os reflexos serão sentidos por muito tempo”, aposta.

Sobre a atuação do presidente Jair Bolsonaro na pandemia, lembra que desde o início ele pediu equilíbrio entre economia e saúde. “O brasileiro precisa trabalhar para sobreviver.”

O deputado entende que houve muita “politicagem” na condução do tema. Diz que o modelo de bandeiras não funcionou e criticou a alternativa do ensino remoto, quando muitas crianças não têm equipamentos eletrônicos, nem mesmo Internet em casa.

“Não sou negacionista à pandemia, mas sou negacionista ao fechamento de escolas, do comércio. Quem diz que o comércio é o responsável pela disseminação do vírus?.”

Considera que é hora de trabalhar com extensão de horários em serviços, sempre evitando aglomerações e tomando cuidados com higiene e uso de máscara. “Também precisamos de vacina, não tenho dúvida, e o mais rápido possível.”

JORNAL NH

Você pode gostar...